AMOR Associação de Moradores do Recreio

A AMOR completou 39 anos, e fizemos uma festa para comemorar, recebendo diversos convidados. Comemoramos sim, pois, afinal de contas, somos a mais antiga Associação do Rio de Janeiro, e uma data como esta não pode passar em branco. Todavia, em um aniversário de uma Associação, o importante não é a festa, e sim a mensagem que queremos passar. Em discurso proferido por nossa Presidente para todas as Autoridades presentes, amigos e associados, recordamos as nossa antigas conquistas e, principalmente, elencamos todos os desafios que ainda temos que vencer, e que são muitos. Cada um dos mais de 100 convidados levou para casa uma missão, uma folha do nosso abaixo-assinado pedindo a conclusão da nossa Clínica da Família, que teve a pedra fundamental lançada em 2015 e até hoje não ficou pronta; e o pior, não há previsão no orçamento do quadriênio da saúde para ela. Por fim, queremos agradecer a todos os que fizeram ser possível a existência da AMOR. Muitos deles já não estão entre nós, mas temos certeza que de, onde quer que estejam, estão felizes com a nossa AMOR. Segue, abaixo, o discurso de nossa Presidente.


DISCURSO PELO ANIVERSÁRIO DOS 39 ANOS DA AMOR


“Transportai um punhado de terra todo dia e fareis uma montanha” – Confúcio.

Boa noite a todos.

Há 39 anos a AMOR transporta punhados de terra e assim, se esforçando em fazer uma montanha, ela tenta cumprir sua missão, que é ser o elo de ligação entre os moradores e o Poder Público Constituído.

Para que alcancemos este objetivo, partimos do pressuposto que nenhum problema que afeta aos moradores é pequeno. Uma árvore por podar, uma rua com pouca iluminação, lixo em uma esquina, podem parecer, aos que não conhecem o nosso bairro, questões menores, mas só os moradores do Recreio dos Bandeirantes sabem o impacto que elas têm no seu cotidiano.

Mas a AMOR, em seus 39 anos, se destacou não só por lutar pelos pequenos problemas, mas, principalmente, pela solução dos grandes problemas. Temos, portanto, que reconhecer o trabalho das gestões anteriores, as quais foram responsáveis, junto com seus parceiros, entre outras conquistas, pelo 31º Batalhão de Polícia Militar, pela 42ª Delegacia Policial, pelo que temos de esgotamento sanitário e água potável, pelo asfaltamento do bairro, e mais recentemente, a AMOR conseguiu a construção de duas pontes sobre o Canal das Taxas, em substituição às antigas, que haviam sido interditadas, um compromisso pessoal assumido pelo Prefeito, ainda em campanha, junto à AMOR. Enfim, a AMOR sempre esteve envolvida com as grandes questões do nosso bairro.

Exatamente por isso, neste dia de festa, queremos lembrar a todos que as grandes lutas não se encerraram; pelo contrário, assim como o bairro, que agora conta com mais de cem mil habitantes, as demandas cresceram.

Através de Ofícios, reuniões com o Secretariado Municipal, Superintendências e Parlamentares, entrevistas, abaixo-assinados, enfim, todas as armas que uma associação possui, temos lutado em prol das demandas urgentes que o nosso bairro apresenta.

Dito isso, passo a listar algumas das nossas prioridades.

- Na área dos transportes, transformar em realidade algo que só há no papel, um Terminal de Ônibus, já que o que existe na realidade em nosso bairro são dez pontos finais de linhas espalhados pela Avenida Guiomar Novaes, que é chamado pela SMTU de “Terminal Terreirão”. Além da desordem urbana e do caos no trânsito provocado por essa falta de solução, temos que apontar, principalmente, o desconforto do usuário, que aguarda sua condução no sol, na chuva e em local insalubre, e dos funcionários das empresas de ônibus, que trabalham nessas mesmas condições.

- Na área da educação, não temos Escolas Estaduais nem qualquer escola que vá além do 5º ano. Com somente onze anos, as crianças atendidas pela rede pública têm de tomar ônibus para buscar por educação em outros bairros.

- Estamos lutando para a consecução da obra definitiva na Praia de Sernambetiba, nome geográfico oficial da Praia da Macumba. A importante obra ali realizada terá sido em vão, se não for completada pela construção dos guias-correntes na saída do Rio Morto, e pela recomposição da faixa de areia, como já alertava a COPPE-UFRJ em 1998.

- Na área da segurança, estamos pleiteando a construção de uma sede para a 3ª Companhia do 31º Batalhão da Polícia Militar dentro do Recreio. A 3ª Companhia faz a patrulha do nosso bairro, e uma sede dentro do Recreio contribuirá para fixar o efetivo aqui, e reduzir o tempo de troca das guarnições.

- Ainda na área de segurança, e para contribuir com a ordem pública, estamos insistindo com a Prefeitura para que seja criada uma 16ª Inspetoria de Guarda Municipal no Recreio, fixando aqui efetivos da Guarda Municipal.

- Também estamos buscando parcerias que viabilizem a instalação, na nossa região, de uma Sub-Sede do Grupamento Aeromóvel da Polícia Militar, para incrementar as ações policiais no Recreio e adjacências.

- Apresentamos denúncia ao Ministério Público, referente à intenção de construção de um Posto de Gasolina na área de amortecimento do Parque Marapendi, o que é ilegal. O Conselho Gestor do Parque Marapendi, conforme consta da denúncia, foi unânime em reprovar esta obra. Além disso, a posição pretendida para este Posto, no canteiro central da Avenida Alfredo Balthazar da Silveira, traria transtornos ao trânsito da via.

- Somando forças com o Movimento de Despoluição do Canal das Taxas, na Força-Tarefa por eles formada, todos os anos temos que buscar a equipes da Rio-Águas e da Comlurb para, juntas, retirarem as gigogas de nossos corpos hídricos. Vítimas do desequilíbrio ecológico, as gigogas não são vilãs; seu crescimento desordenado é devido ao lançamento de esgoto in natura, e elas se tornam criadouros de todas as espécies de mosquitos, que são vetores de inúmeras doenças, como todos sabemos. Mas essa é uma solução precária. A solução definitiva é que a rede de esgotamento sanitário do bairro seja completada, e uma ação ampla neste sentido é extremamente necessária, para preservar o meio ambiente e trazer saúde para a nossa população.

- Na área da saúde, a carência é grande. O Centro Municipal de Saúde Harvey Ribeiro nunca teve seu projeto inteiramente executado. A prometida Clínica da Família, que teve pedra fundamental lançada em 2015, está com suas obras paradas, e as oito equipes da Clínica da Família usam de forma improvisada o já saturado Centro Municipal de Saúde. Nos fins de semana, em caso de emergência, o cidadão tem de se deslocar para o Hospital Lourenço Jorge, pois não há nada de saúde pública funcionando. Se o caso for grave, há de se contar com a sorte para chegar vivo, pois com a Avenida das Américas e a Avenida Lúcio Costa saturadas por aqueles que buscam nossas praias, ficamos ilhados e a mercê do trânsito. Por isso, estamos promovendo um abaixo-assinado, que está correndo entre os presentes, pedindo a retomada das obras da Clínica da Família. Pedimos a colaboração de todos, não só assinando o abaixo-assinado, como também levando consigo uma folha de assinaturas. A colaboração de todos, recolhendo assinaturas entre parentes, vizinhos e amigos, trará força ao nosso pleito.

Além destas lutas, a AMOR participa dos Conselhos Gestores do Parque Municipal da Prainha e do Parque Chico Mendes, do Conselho Comunitário de Segurança - CCS, do Conselho Comunitário de Segurança Escolar - CCSE e do Conselho de Saúde da AP-4, representando os moradores do Recreio.

Temos o maior prazer de ter, desenvolvendo suas atividades dentro das nossas instalações, o Lions Clube Recreio dos Bandeirantes, o Coral Canto do Recreio, a Obra do Amor Perfeito, o Projeto Costurando com Amor, o Projeto Semear e a Creche Municipal AMOR. Além disso, temos sido a sede das reuniões do CCS Escolar, que contará com nossas instalações até ficar tão grande que não possa mais caber na nossa sala.

Este ano algo muito importante aconteceu, ou melhor renasceu: o Parque Chico Mendes, o nosso xodó, voltou para os moradores do Recreio, que abraçaram a ele e à sua Gestora, Isa Anese Ururahy. E é lógico que fizemos questão de fazer parte do Grupo Amigos do Parque Chico Mendes.

Algo que devemos ressaltar, e que atrapalhou de forma significativa o nosso trabalho, foram as constantes mudanças na Administração Pública Municipal, principalmente, no que se refere ao que nos afeta diretamente, que é o Superintendente Regional. Em menos de dois anos, estamos no quarto Superintendente. O problema, aqui, não é fazer outra reunião para apresentar o novo Superintendente, mas o que nos aflige de verdade é o medo de não haver continuidade administrativa, e que nossos Ofícios, com as tão necessárias demandas, fiquem perdidos no meio do caminho.

Por isso, inicialmente, fomos contra a criação da Superintendência do Recreio. Mas, como se diz na imprensa, quando Sua Majestade, o Fato, senta-se à mesa, nada mais se pode fazer. Temos que aceitar e ir em frente, esperando poder desenvolver um trabalho profícuo e parceiro com a nova Superintendência do Recreio.

Finalmente, deixo a todos o meu “muito obrigada” por comparecerem à nossa festa.

E que possamos estar todos aqui novamente, dentro de um ano, comemorando os 40 anos da AMOR e suas próximas conquistas, e nos orgulhando do nosso amado Recreio.



0 visualização
Barra da Tijuca, Recreio dos Bandeirantes e Vargem Grande - RJ    jornal@tipocarioca.com.br   Tel: 55 (21) 2490-0328 / 99124-0185